Ir direto para menu de acessibilidade.
Busca
Página inicial > Notícias > Alunos da rede são premiados no concurso Goiânia na Ponta do Lápis
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Alunos da rede são premiados no concurso Goiânia na Ponta do Lápis

Evento no Cine Goiânia Ouro contemplou 15 educandos

  • Publicado: Quinta, 01 de Fevereiro de 2018, 18h09
  • Última atualização em Quinta, 01 de Fevereiro de 2018, 18h09

431325719444444Nesta quinta-feira, 1º, foi realizado, no teatro do Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro, a solenidade de premiação aos alunos finalistas do concurso Goiânia na Ponta do Lápis, uma parceria da Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte, com o jornal Tribuna do Planalto.

Foram premiados os três primeiros lugares de cada uma das cinco categorias. A terceira colocação ganhou smartphones, a segunda smart TVs e a primeira notebooks, além de medalhas e certificados. Ao todo, foram 15 alunos contemplados, sendo nove da rede municipal e seis da rede privada de ensino.

O tema de 2017, a 18ª edição do concurso, foi “Como a internet tem interferido nas relações entre as pessoas?”. O secretário de Educação e Esporte, professor Marcelo Costa, ressaltou a importância de se trabalhar temas atuais e abrangentes com os alunos e sobre o incentivo que esse tipo de iniciativa dá para a formação dos educandos.

“Fazer um concurso de redação sobre este tema é interessante. Resgata a possibilidade das pessoas utilizarem o conhecimento para fins aplicados, de forma prática para que a criança e o adolescente saiba o motivo pelo qual está fazendo isso. Saber que a redação será premiada, que o conteúdo que escreveu será divulgado para as pessoas e que isso virará informação, contribui de forma positiva e incentiva a participação do aluno”, salientou.

Emilly Ribeiro Santos Ferreira, 12 anos, aluna da Escola Municipal Frei Demétrio Zanqueta, localizada no Setor Pedro Ludovico, foi a primeira colocada na categoria A, que abrangeu educandos do Ciclo II. Ela contou como foi o processo de confecção da redação.

“Eu não estava com nenhuma ideia na cabeça e aí escrevi o texto. A professora disse que o meu estava entre as três melhores. Escrevemos várias vezes, porque um texto nunca acaba. Achei bom escrever sobre a internet, pois muitas pessoas usam”, disse.

Para Lilian Sussuarana, professora de Emilly, o incentivo é sempre trazendo a leitura para dentro da sala de aula e o desenvolvimento da escrita. 'Foram feitas oficinas de redação e todas os alunos desenvolveram os textos. Nós, da equipe da E.M. Frei Demétrio, selecionamos as duas melhores para concorrer”, contou.

Núbia Alves, da Editoria de Educação e Esporte

Fotos: Aline Cavalcanti

registrado em:
Fim do conteúdo da página